• — Que foi?
  • — Nada, porque?
  • — Tá olhando esse celular faz uns vinte minutos.
  • — Tô?
  • — Tá sim, está esperando alguma ligação?
  • — Não.
  • — Então velho, larga isso dai e vem curtir, tem muita mulher lá fora, e já pensou que ela pode tá agora com outro? Vai curtir, cara. Vai beber, volta a fumar.
  • — Não, você sabe que eu não posso.
  • — Só porque prometeu para ela?
  • — Cara…
  • — Ela também prometeu que não te deixaria, mas veja só, ela deixou.
  • Ele se levanta, o empurra para a parede. — Não foi porque ela quis, eu que fui um baita de um otário com ela. Eu a vi chorando milhões de vezes e sabe o que eu fiz? Fui beber com você. E não me deu futuro. Ela me pediu para parar de fumar, e eu não parei enquanto eu estava com ela. E sabe agora? Eu não consigo nem correr cinco minutos que meu peito dói. Ela me falou mil vezes para moderar na bebida, e eu não a escutei. Hoje tenho gastrite. Ela me disse que você não era amigo de verdade, mas eu te defendi, briguei com ela e a gente terminou. Pela primeira vez eu vi que ela estava certa, você não presta. Você não sabe o que eu tô sentindo porque você nunca foi amado, nunca foi considerado um verdadeiro homem para alguma garota. Você não sabe nem o que é saudade, porque está acostumado a ser de uma cada noite. Não passa de um merda, que acha que dois copos de cerveja te fazem homem. Mas não fazem, porque você nunca achou uma mulher que te fizesse bem, como eu achei. Eu a amo, então lava a tua boca antes de falar dela, porque se hoje eu tô sem ela, foi porque não dei valor. Ela é a mulher da minha vida, e se não quiser aceitar, some daqui. Some da minha frente, e volte pra esse teu mundo de playboy que só se preocupa com a farra. Porque eu vou atrás dela.